Contador Grátis

domingo, 18 de dezembro de 2011

Em dia de festa, Brasil vence e conquista recorde no Mundial


O handebol feminino brasileiro conseguiu hoje (18) seu melhor resultado na história dos Mundiais. A equipe comandada pelo dinamarquês Morten Soubak goleou a Rússia por 36 a 20 (18 a 11 no primeiro tempo) no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, e encerrou a competição em quinto lugar. Antes, o melhor desempenho verde e amarelo havia sido em 2005, na Rússia, quando ficou em sétimo.

A marca histórica coroa os 33 anos da goleira Chana, completados hoje. "Se todas as competições fossem disputadas no Brasil, ganharíamos uma logo", brincou a atleta. "O mais importante é que colocamos a torcida do nosso lado. Tenho certeza de que ela vai nos acompanhar onde estivermos. O Mundial foi superpositivo. Jogamos mal apenas um jogo e isso não pode apagar o que fizemos nos outros sete, que foram muito bons", completou a aniversariante, referindo-se à derrota para a Espanha nas quartas de final, quarta-feira (14), por 27 a 26.

Eleita a melhor jogadora da partida, Chana está feliz com o seu desempenho no Mundial e quer prolongar a carreira. Ela anunicou que, em 2012, deve retornar ao Brasil. "Está cada vez mais difícil parar de jogar, porque eu me sinto cada vez melhor. Voltar ao Brasil é tudo o que eu quero. Fico na Europa até maio. Depois das Olimpíadas, estou 90% fechada com a Metodista/São Bernardo", afirmou.

Barbara Arenhart, companheira de posição de Chana, é só elogios à veterana. "Ela é fundamental para a Seleção e coloca todos para cima quando a gente precisa. Por isso, mereceu o prêmio que ganhou hoje. Tenho com ela uma relação dentro de quadra que nunca tive com outra goleira. Parece até que nascemos grudadas. Nossa união é transparente."

O jogo - Em quadra, o duelo foi de opostos. Enquanto o Brasil entrou ligado, disposto a obter a melhor posição em Mundais, a Rússia parecia abatida por ter perdido a chance de tentar o tetracampeonato. Isso se refletiu no resultado desde os primeiros minutos. Mais rápidas no contra-ataque e atentas na defesa, as brasileiras logo abriram 3 a 0 no placar.

Quando a Rússia atacava, brilhava a estrela de Chana. A goleira estava inspiradíssima e fez, pelo menos, três grandes defesas no primeiro tempo. Com essa segurança atrás, as pontas Alexandra e Fernanda garantiram o poder ofensivo, e o Brasil chegou ao intervalo com sete gols à frente no placar.

No segundo tempo, o Brasil pisou ainda mais no acelerador e ampliou a vantagem. "Cumprimos o objetivo de superar nossa melhor colodcação em Mundiais e conseguimos fazer com que o handebol brasileiro ganhasse respeito na Europa. É tudo bom demais", comemorou a armadora Eduarda Amorim, a Duda. "No jogo de hoje, mesmo no limite físico e mental, conseguimos ter concentração. Agora, já estamos pensando em Londres. Pode ter certeza de que vamos atrás da medalha", completou a também armadora Deonise.

O técnico Morten Soubak mostrou satisfação com a campanha brasileira. "Jogamos um Mundial excepcional e conseguimos brigar de igual para igual com todos os outros times. Erramos naqueles 15 segundos contra a Espanha", lamentou. "Claro que sempre há o que melhorar, e o principal é equilibrar mais a defesa. Em um mesmo jogo, há períodos em que tomamos muitos gols e outros em que não tomamos nenhum", acrescentou o dinamarquês.

O treinador russo, Evgeny Trefilov, assumiu a responsabilidade pela derrota e achou o resultado justo. "Não adianta tentar achar justificativas", afirmou.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Brasil pega a Croácia de olho no quinto lugar, às 14h30, no Ibirapuera, em São Paulo


O Mundial Feminino de Handebol não acabou para o Brasil. Após ter sido superado pela Espanha no último minuto por 27 a 26 ontem (14), pelas quartas de final, a equipe vai, agora, em busca do quinto lugar, tentando superar sua melhor colocação na história do campeonato, a sétima posição conquistada na Rússia, em 2005. O primeiro desafio será vencer a Croácia amanhã (16), às 14h30, no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo.

"Ontem foi dia de chorarmos por conta do resultado contra a Espanha, naturalmente. Mas, a partir de hoje, vamos nos concentrar na disputa do quinto lugar", comentou o técnico da Seleção Brasileira, o dinamaquês Morten Soubak. "Disputar um Mundial em casa é especial para todas as jogadoras. Para nós, a competição ainda não acabou. Vamos em busca deste quinto lugar, para batermos nossa melhor colocação", completou a pivô Dani Piedade.

Caso derrote a Croácia, o Brasil pega o vencedor de Rússia e Angola no domingo (18), às 9h, para decidir o quinto lugar. Russos e angolanos se enfrentam amanhã (16), às 11h45. No fim da tarde, às 17h15, o Ginásio do Ibirapuera recebe França x Dinamarca pela semifinal. O outro jogo valendo vaga na decisão será entre Noruega x Espanha, às 20h.

Programação - Ginásio do Ibirapuera

Amanhã (16):

Jogos pela disputa de 7º a 8º
11h45 - Rússia x Angola
14h30 - Croácia x Brasil

Semifinais
17h15 - França x Dinamarca
20h - Noruega x Espanha

Domingo (18):
9h - Definição de 5º e 6º
11h45 - Definição de 7º e 8º
14h30 - Disputa do bronze
17h15 - Final do Mundial

sábado, 10 de dezembro de 2011

Gol de goleira dá quinta vitória ao Brasil


A quinta vitória da Seleção Brasileira no Mundial Feminino de Handebol saiu das mãos da goleira Babi, a dez segundos do fim do jogo. Com um gol inesperado, em um arremesso de área para área, a jogadora garantiu o placar 34 a 33 para as donas da casa contra a Tunísia hoje (9), no Ibirapuera, sede do Grupo C, pela última rodada da primeira fase. O primeiro tempo terminou 20 a 16 para as africanas. Na segunda-feira (12), o Brasil enfrenta a Costa do Marfim às 20h, no mesmo local, pelas oitavas de final.

No dramático duelo desta noite, a bola balançou a rede das tunisianas, e o apito final liberou a festa para as brasileiras: abraço coletivo em Babi e muita comemoração. "O cansaço foi, visivelmente, nosso maior inimigo em quadra. Mas, pela campanha que fizemos no Mundial até aqui, merecíamos ganhar. Então, a sensação de ter decidido o resultado a nosso favor é indescritível", comemorou a camisa 12. "Sempre esperamos uma oportunidade de fazer gol, porque é diferente para nós. Quando vi a defesa aberta e a goleira delas fora, não tive dúvida em arremessar."

O jogo foi morno, com as duas equipes se revezando à frente no placar. No entanto, a Tunísia, melhor na defesa, conseguiu abrir vantagem em alguns momentos. Do outro lado, o Brasil pecava nas finalizações, mas conseguiu empatar aos 29 minutos (33 a 33). Foi, então, que a inspiração de Babi entrou em quadra. O gol decisivo deu sequência à boa atuação das goleiras da Seleção. Além de Babi, Chana teve ótima participação na primeira fase, especialmente na virada histórica contra a França.

Com o time já classificado em primeiro lugar, o técnico Morten Soubak deu oportunidade a atletas pouco utilizadas. Os destaques foram a armadora-direita Francine e a ponta-direita Jéssica, que receberam elogios. "A Fran, em minha opinião, deveria ter sido escolhida a melhor da partida. A Jéssica também foi muito bem. Ela é a mais nova do grupo e soube chamar a responsabilidade, fazendo gols em momentos cruciais", disse o treinador.

A central Ana Paula e a armadora-esquerda Silvia Helena também tiveram atuação destacada nesta noite. Amanhã (10), Morten Soubak começa a estudar a Costa do Marfim, adversária na briga por uma vaga nas quartas de final. "É um time muito forte fisicamente e que tem apresentado altos e baixos no torneio. Elas perderam por apenas três gols para a Suécia", comentou o técnico do Brasil.

Outrros jogos - Pelo Grupo A, a Islândia se juntou a Noruega, Angola e Montenegro nas oitavas de final. A equipe bateu a China por 23 a 16 em duelo que encerrou a primeira fase da chave, na Arena Santos. Alemanha e China disputarão a President's Cup, minitorneio que definirá as posições de 17º a 24º lugares.

"Não tivemos uma boa atuação. Mesmo assim, conseguimos a vitória e alcançamos o objetivo que era passar de fase", disse a islandesa Dagny Skuladottir, eleita a melhor em quadra.

No Grupo D, em São Bernardo do Campo, a Croácia venceu a Argentina de virada por 22 a 18 (9 a 11 no intervalo). Com o resultado, as europeias asseguraram o segundo lugar na chave e vão enfrentar a Romênia, terceira colocada do Grupo C, nas oitavas de final. Lanterna de seu grupo, a Argentina vai disputar a President's Cup ao lado do Uruguai.

A partida começou equilibrada, com predomínio argentino. Contudo, assim como no confronto de quinta (8), quando as argentinas perderam das uruguaias, a torcida brasileira fez a diferença para o adversário, no caso a Croácia, que virou a partida no segundo tempo. "Quando jogamos sem pressão, vamos bem, mas a torcida nos atrapalhou hoje", disse o técnico argentino, Miguel Interllige.

Em Barueri, sede do Grupo B, a seleção russa confirmou o primeiro lugar da chave ao bater o eliminado Cazaquistão por 34 a 19 (21 a 6 no primeiro tempo).


Jogos de hoje (9)

Grupo A

Angola 25 x 22 Alemanha
Noruega 28 x 27 Montenegro
China 16 x 23 Islândia


Grupo B

Espanha 39 x 9 Austrália
Holanda 26 x 38 Coreia do Sul
Rússia 34 x 19 Cazaquistão


Grupo C

Cuba 24 x 32 Japão
Romênia 20 x 39 França
Brasil 34 x 33 Tunísia


Grupo D

Costa do Marfim 31 x 24 Uruguai
Suécia 19 x 20 Dinamarca
Croácia 23 x 18 Argentina

Confrontos das oitavas de final

DOMINGO (11)

Santos

14h30 - Coreia do Sul x Angola
17h15 - Noruega x Holanda

Barueri

14h30 - Rússia x Islândia
17h15 - Montenegro x Espanha


SEGUNDA-FEIRA (12)

São Paulo

14h30 - Suécia x França
20h - Brasil x Costa do Marfim

São Bernardo

14h30 - Romênia x Croácia
17h15 - Dinamarca x Japão

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Croácia vence Suécia e embola Grupo D do Mundial


Em jogo muito equilibrado no Ginásio Adib Moyses Dib, em São Bernardo do Campo, a Croácia derrotou hoje (8) a Suécia por 27 a 26 (14 a 12 no intervalo) pelo Grupo D do Campeonato Mundial Feminino de Handebol. Com o resultado, as croatas empataram na liderança da chave com suecas e dinamarquesas, todas com seis pontos. A Dinamarca ainda jogará hoje contra Costa do Marfim.

A partida foi marcada pelo equilíbrio desde o início. Superior na marcação e nos contra-ataques, a Croácia conseguiu tomar a dianteira do placar no primeiro tempo e obteve a vitória parcial por 14 a 12. No segundo, apesar da pressão sueca, as croatas se mantiveram à frente no placar o tempo todo.

"Cometemos erros, mas jogamos com mais velocidade, por isso vencemos", afirmou o treinador da Croácia, Vladimir Canjuga. "Não tivemos sorte no início do segundo tempo, mas a Croácia jogou bem. Perdemos, mas tivemos boa criatividade na partida", analisou o técnico sueco Per Johansson.

No Ginásio do Ibirapuera, sede do Grupo D, Japão e Tunísia fizeram um jogo muito equilibrado e decidido nos segundos finais no primeiro duelo do dia. As duas equipes tiveram atuação fraca no sistema defensivo, permitindo que o ataque adversário se infiltrasse com facilidade.

O final foi dramático. O placar marcava 31 a 31 a quatro segundos do apito final, quando a japonesa Shio Fujii balançou a rede das tunisianas em um tiro de sete metros e garantiu a vitória. Abalado com a derrota, o treinador do time africano foi substituído na entrevista coletiva por seu assistente-técnico Lahiani Issam.

"Foi um jogo muito difícil para nós. Mesmo vencendo, precisamos continuar trabalhando e melhorando os fundamentos se quisermos garantir nossa classificação para as oitavas de final", comentou a japonesa Hiromi Tashiro. As orientais, que chegaram a três pontos e estão em quarto lugar no grupo, pegam Cuba na última rodada da primeira fase, amanhã (9), às 15h. A Tunísia, que enfrenta o Brasil às 19h45, ficou em situação delicada, com apenas dois pontos.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Brasil arranca virada histórica da França no Mundial


Com dois tempos completamente diferentes, a Seleção Brasileira conquistou virada histórica contra a França hoje (5) no Mundial Feminino de Handebol, no Ibirapuera, e provou que pode, sim, brigar pelo título com as melhores do mundo. Depois de terminar o primeiro tempo sete pontos atrás (17 a 10), as anfitriãs, empurradas pela torcida, venceram por 26 a 22. Chana, goleira do Brasil, foi o destaque do duelo, que garantiu o Brasil nas oitavas de final por antecipação.

Com muitos erros de finalização e defesa desorganizada, nem o técnico do Brasil, Morten Soubak, acreditava na virada depois do primeiro tempo. "Eu não esperava conseguir, nem elas. A palavra no vestiário foi que seria muito difícil, mas que iríamos tentar", revelou. Mérito para o treinador que, com uma mudança tática, fortaleceu o sistema defensivo e fez as anfitriãs voltarem com outra cara para a quadra.

No segundo tempo, as vice-campeãs mundiais não jogaram. A Seleção cresceu e, com muita garra, desestabilizou as adversárias. Quem brilhou, e muito, foi a goleira brasileira Chana. Em um momento crucial do jogo, quando o Brasil já havia diminuído a diferença para dois gols, a veterana emendou sequência de defesas espetaculares, de todos os jeitos possíveis, inclusive em um lance de sete metros a três minutos do fim. E também contou com a ajuda da trave.

Decisiva, a pivô Dani Piedade fez o gol de empate (21 a 21) e o da virada. A partir daí, a equipe ampliou a vantagem. A um minuto do apito final, Morten pediu tempo técnico, e Chana não conteve as lágrimas. Ela olhou para o placar como se não acreditasse no que estava vendo: 26 a 22 e a confirmação do triunfo.

"Gritei e vibrei muito a cada defesa. Preciso ser assim, vibrante. Esse foi o jogo mais importante para mim até hoje em um Campeonato Mundial. Foi maravilhoso ganhar de uma favorita como a França. Isso nos dá muita moral e mostra que queremos ir muito além do sétimo lugar conquistado em 2005 (na Rússia, melhor colocação do Brasil na competição)", destacou Chana. "Mas precisamos ser realistas. Não podemos errar como no primeiro tempo, ficando sete gols atrás. Só buscamos a diferença porque somos brasileiras e acreditamos no impossível", completou.

Morten elogiou sua equipe, mas aproveitou para alertar sobre os próximos confrontos. "Foram os melhores 30 minutos dessa Seleção sob o meu comando. Mas precisamos ter os pés no chão. Na quinta (8), temos a Romênia, terceira colocada no Europeu de 2010. Será outra pedreira. E na sexta (9), a Tunísia, que vem jogando muito bem e surpreendendo a todos."

Como não poderia ser diferente, Chana foi eleita a melhor jogadora. Já classificada para as oitavas de final, com três vitórias, a Seleção tem folga na tabela amanhã, como todo o Grupo C, e pega as romenas na quinta às 19h45. O dia, no Ibirapuera, terá também os confrontos entre Japão e Tunísia, às 15h, e França e Cuba, às 17h15.

Pelo Grupo A, em Santos, a Alemanha bateu a China por 23 a 22 (7 a 12 no primeiro tempo). No B, em Barueri, a Espanha bateu a Coreia Coreia do Sul por 29 a 26 (13 a 12). Já pelo Grupo D, em São Bernardo, Costa do Marfim derrotou a Argentina por 25 a 19 (14 a 8).

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Mundial: Brasil derrota Japão e pega a França amanhã (6)


Torcida a favor fazendo "ola", gritando o tempo todo e, com uma grande bandeira estendida. Como contraponto, meia dúzia de torcedores japoneses. Esse foi o cenário da segunda vitória da Seleção Brasileira no Mundial Feminino de Handebol, hoje (5), contra o Japão, por 32 a 24 (16 a 12), no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, sede do Grupo C. O próximo passo rumo às oitavas de final será a França, atual vice-campeã do torneio, amanhã (6), às 19h45. As duas equipes estão invictas e disputam a liderança do grupo.

Logo no início, o clima contagiou as jogadoras quando o público continuou a cantar o Hino Nacional mesmo quando o serviço de som parou de tocar. Embalado, o Brasil bloqueou a primeira jogada das adversárias com a pivô Dara e, no contra-ataque, a armadora-esquerda Deonise abriu o placar. A Seleção abriu vantagem e continuou com boa marcação, mas o Japão cresceu ao passar a explorar bem os dribles.

Na segunda etapa, as brasileiras repetiram alguns erros do primeiro tempo, como troca de passes precipitada. A boa atuação das goleiras foi um dos pontos positivos da partida: se no início Bárbara (Babi) brilhou, Chana também fez defesas difíceis. "Nós dependemos bastante da boa marcação, e as meninas foram muito bem. Fico feliz de ter conseguido ajudar a equipe a sair com a vitória", destacou Babi.

O treinador do Brasil, Morten Soubak, admitiu que é necessário corrigir alguns pontos para as próximas partidas. "Precisamos melhorar em muitos fundamentos, em especial nos passes. É fundamental trabalhar mais a bola e ter paciência para capricharmos nas finalizações."

Sobre a França, próximo adversário, Morten pediu atenção especial com a pivô Allison Pineau, camisa 7. "É uma das melhores equipes do mundo e pode complicar para o nosso lado. As francesas têm um físico excepcional e sabem usar isso muito bem. Mas a Pineau não se aproveita tanto disso. A especialidade dela é ser racional e enxergar muito bem as jogadas."

O técnico francês, Olivier Krumbholz, aponta equilíbrio no duelo contra o Brasil. "Assim como nós, as brasileiras formam uma equipe de muita qualidade. Não acredito que um dos dois esteja em vantagem. As chances são as mesmas, 50% para cada lado. Hoje (na vitória contra a Tunísia), demos 40% do que podemos. Amanhã, precisamos dar 80%", alertou.

Alexandra Nascimento, ponta-direita da Seleção, foi escolhida a melhor jogadora do confronto com as japonesas. Alê dividiu a artilharia da noite com Shiori Kamimachi, do Japão, com sete gols. Além de Brasil, Japão, Tunísia e França, o Grupo C do Mundial conta com Cuba e Romênia. Além de Brasil x França, a rodada de amanhã no Ibirapuera terá ainda Tunísia x Cuba, às 15h, e Romênia x Japão às 17h15.

BRASIL: Chana Masson (goleira), Barbara Arenhart (goleira), Dara (2), Alexandra Nascimento (7), Samira Rocha (2), Daniela Piedade (1), Fernanda Silva (2)., Ana Paula Rodrigues (5), Jéssica Quintino (1), Silvia Helena Pinheiro (3), Moniky Bancilon (0), Duda (6), Mayara Moura (1) e Deonise Cavaleiro (2). Treinador: Morten Soubak

JAPÃO: Kumi Mori (goleira), Hiromi Tashiro (goleira), Kaori Fujima (goleira), Shiori Kamimachi (7), Aide Uegaki (0), Shio Fuji (3), Yumiko Yamano (2), Karina Maki (0), Yuko Arihama (4); Mayuko Ishitate (2), Aiko Hayafune (2) e Shiori Nagata (4). Treinador: Kyungyoung Hwangv

Apesar da derrota, Costa do Marfim foi a surpresa


Três partidas fecharam a segunda rodada do Grupo D do Mundial Feminino de Handebol, nesta segunda-feira (5), em São Bernardo. Sem surpresa, as seleções da Dinamarca e Croácia confirmaram o amplo favoritismo e não tiveram grandes problemas para superar, com boa margem de gols, a Argentina e o Uruguai, pelos placares de 31 a 13 e 45 a 15, respectivamente.

A primeira disputa da rodada, porém, marcou a boa surpresa do dia: a Suécia enfrentou uma aguerrida e vibrante Costa do Marfim, que até os minutos finais brigou para não ser derrotada. O placar final, de 28 a 25, foi comemorado pelas africanas, que vibraram intensamente quando a atleta Bredou Paula Gondo foi apontada pela organização como a melhor da partida.

"Nossa defesa não foi bem no início no início da partida. Precisei corrigir o posicionamento para não sermos surpreendidos. Mas temos que destacar o grande jogo que as africanas fizeram", disse o técnico da Suécia, Per Johansson.

Já para o treinador da Dinamarca, Jan Pytlick, que aproveitou a fragilidade das oponentes para fazer modificações em sua equipe, o confronto contra as argentinas serviu para mostrar melhorias no setor defensivo. "Esperava mais dificuldade das adversárias. O que garantiu a vitória com boa margem de gols foi a velocidade das nossas atletas", disse o treinador da Dinamarca.

Na rodada final, o técnico croata, Vladimir Canjuga, também fez várias mudanças em sua equipe e gostou do resultado em quadra. "No primeiro tempo usei as principais jogadoras. No segundo, fiz vários testes para dar ritmo às reservas e poupar nossas principais atletas para a disputa contra a Dinamarca", disse Vladimir Canjuga.

Na terça-feira (6) acontece a terceira rodada do Grupo D, com os seguintes confrontos: Suécia x Uruguai (15h15), Dinamarca x Croácia (17h45) e Argentina x Costa do Marfim (20h).

França e Dinamarca vencem com facilidade no Mundial


Depois de Cuba x Romênia e Costa do Marfim x Suécia, foi a vez de Tunísia x França e Argentina e Dinamarca entrarem em quadra hoje (5), pela segunda rodada do Mundial Feminino de Handebol, que está sendo disputado em São Paulo e termina no dia 18. As quatro partidas reuniram equipes dos Grupos C e D. As chaves A e B ganharam folga na tabela, e voltam a jogar amanhã (6).

Tunísia x França

O Ginásio Ibirapuera, sede do Grupo C, recebeu o confronto entre Tunísia e França, sem grandes emoções. As francesas, vice-campeãs mundiais, venceram com relativa facilidade por 25 a 17 (12 a 9), mas não apresentaram o nível de handebol esperado. A França não organizou grandes ataques; no entanto, com defesa quase impecável conseguiu barrar as adversárias. O placar teria sido mais elástico, não fosse a goleira da Tunísia ter salvado algumas bolas.

As tunisianas chegaram a ficar apenas dois pontos no placar, mas a França disparou novamente. Na primeira rodada, a Tunísia perdeu para a Romênia por 28 a 30, e a França derrotou o Japão. "Não jogamos bem; não demos tudo o que podemos. Precisamos, sem dúvida, acertar alguns detalhes para amanhã, confronto mais forte que o de hoje", admitiu o técnico francês Olivier Krumbholz, referindo-se à partida contra o Brasil, às 19h45. Mais cedo, enfrentam-se Tunísia e Cuba às 15h e Romênia e Japão às 17h15.

Argentina x Dinamarca

A Dinamarca confirmou seu favoritismo e venceu a Argentina pela segunda rodada do Grupo D, com placar final de 31 a 13. Com amplo domínio, o técnico dinamarquês Jan Pytlick fez muitas mudanças em sua equipe, aproveitando para dar ritmo às jogadoras. "Nós tivemos uma melhora nesta partida na questão defensiva, principalmente no início do jogo", afirmou Pytlick, referindo-se à diferença de 13 pontos na primeira etapa (placar de 18 a 5).

"O que garantiu a nossa vitória foi a velocidade das nossas jogadoras", finalizou o técnico dinamarquês. A Dinamarca venceu na rodada inicial o Uruguai, também por um placar elástico (36 a 10). A Argentina acumula sua segunda derrota no torneio, já que no sábado foi superada pela Suécia por 37 a 11.

Dois jogos encerram o dia. Pelo Grupo C, no Ibirapuera, Japão x Brasil, às 19h45. Pelo Grupo D, no Ginásio Adib Moyses Dib, em São Bernardo, Uruguai x Croácia.

Rússia se prepara para jogo mais fácil do Grupo B


Única seleção invicta no Grupo B (dois jogos e duas vitórias, contra Coreia do Sul e Espanha) e uma das favoritas ao título, a Rússia volta a quadra do Ginásio José Corrêa, em Barueri, nesta terça-feira (6). A equipe europeia enfrenta às 15h45 a Austrália, que foi presa fácil para Cazaquistão e Holanda nas duas partidas que fez.

Para a pivô Liudmila Bodnieva, a confronto com as australianas será um ‘treino de luxo’. "Sabemos que temos o favoritismo e que o time da Austrália não é tão forte, então, jogaremos para testar algumas coisas no ataque. Será como um amistoso", afirmou a pivô de 33 anos, dúvida para a partida por causa de dores no joelho esquerdo.

Experiente e considerada uma das melhores atletas de handebol no mundo, ela acredita que há outras seleções, além da Rússia que podem vencer a competição, inclusive, o Brasil. "Há outras favoritas, como as seleções da Escandinávia (Noruega, Dinamarca e Suécia) e o Brasil. Não somos tão favoritos assim."

Às 18h, o Cazaquistão enfrenta a Holanda. Ambos os países precisam vencer para se aproximarem da líder Rússia - os dois times têm uma vitória e uma derrota. Ciente na necessidade de um bom resultado, o Cazaquistão preparou a defesa para as rivais.

"Vai ser um jogo difícil porque a Holanda é uma seleção muito rápida. Treinamos uma tática defensiva específica para isso", disse o assistente técnico Vadim Bykanov. "Se a defesa for bem e não perdermos gols, podemos sair com a vitória", completou.

Coreia do Sul e Espanha fazem o último jogo do dia às 20h15. Ambos os países têm uma vitória e uma derrota na competição.

Confira abaixo os confrontos desta terça-feira (6) no Ginásio José Corrêa, em Barueri:

15h45 - Rússia x Austrália
18h - Cazaquistão x Holanda
20h15 - Coreia do Sul x Espanha

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Brasil entra no clima do Mundial de Handebol


A uma semana de sua estreia no Campeonato Mundial Feminino de Handebol, a Seleção Brasileira começa, definitivamente, a entrar no clima da competição. A equipe faz amanhã (26) o teste inicial para o torneio, em amistoso contra a Espanha, às 21h, no Ginásio Adib Moyses Dib, em São Bernardo do Campo (SP). Será a primeira partida desde a conquista da medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, no dia 23 de outubro.

A seleção está reunida desde sábado e concentrada em Santo André na preparação para o Mundial, que será realizado pela primeira vez nas Américas. Hoje (25), elas seguem à tarde para São Bernardo, onde treinarão no Ginásio Poliesportivo, uma das quatro sedes do torneio. As outras são São Paulo, Barueri e Santos.

O técnico do Brasil, o dinamarquês Morten Soubak, quer ver na prática o que foi trabalhado durante a semana. "Vamos fazer alguns testes, mas, principalmente, ganhar ritmo de jogo e ver como funciona os tipos de defesa que treinamos", disse o teinador . Ele elogiou as adversárias de amanhã e acha que o duelo será um ótimo teste para as suas comandadas. "A Espanha utiliza uma forma mais aberta de defesa. Será bom enfrentar uma equipe assim."

A armadora Deonise, que joga no Itxako, e a pivô Dara, que joga no Bera Bera, ambos da Espanha, vão encontrar colegas de clube do outro lado da quadra. Capitã do Brasil, Dara garante, porém, que isso não vai diminuir a rivalidade. "Elas não querem perder, e a gente também não. Jogamos juntas e conhecemos praticamente todas as atletas, mas agora é cada uma por seu país", disse a atleta, que fez uma ressalva. "Como primeira partida, vamos encontrar muita dificuldade, porque a carga física vai pesar um pouco. O estilo espanhol nos oferecerá um bom teste, e o Morten poderá avaliar o trabalho", acrescentou.

Espanha e Brasil não estão no mesmo grupo no Mundial. As brasileiras ficaram na Chave C, sediada em São Paulo, ao lado de Cuba, Romênia, França, Tunísia e Japão. Já as espanholas caíram no Grupo B, em Barueri, junto com Rússia, Holanda, Cazaquistão, Coreia do Sul e Austrália..

O jogo contra as espanholas será o primeiro de quatro amistosos que o Brasil fará até a estreia no Mundial, no dia 2 de dezembro, contra Cuba, no Ibirapuera. No domingo (27), a adversária será a Holanda, às 19h, também em São Bernardo. Na terça (29) e quarta-feira (30), os desafios serão contra Montenegro e Noruega, respectivamente, às 19h30, em Santos.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Seleção faz treinamentos finais para o Mundial


A Seleção Brasileira Feminina de Handebol volta a se reunir neste sábado (19) para dar início à fase final de treinamentos rumo ao Campeonato Mundial, que será disputado em São Paulo de 2 a 18 de dezembro. As 15 campeãs pan-americanas em Guadalajara, no México, foram chamadas. Completam a lista a goleira Mayssa Pessoa, a central Tayra Rodrigues e a pivô Alessandra Medeiros.

O grupo comandado por Morten Soubak se apresentará às 12h em Santo André e fará treinamento coletivo aberto ao público no Ginásio Poliesportivo do SESC Santo Amaro, em São Paulo, das 15h30 às 16h30. A atividade faz parte da festa de reinauguração da unidade, fechada desde 2004 para reformas de ampliação.

A Seleção ficará concentrada em Santo André até o dia 25 e, em seguida, seguirá para São Bernardo, onde permanecerá até o dia 30. Das 18 atletas que participarão desses últimos treinamentos, apenas 16 competirão no Mundial. A sede do Brasil na competição será o Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo.

Lista das 18 convocadas:

Goleiras: Chana Manson (Randers, da Dinamarca); Bárbara Elisabeth Arenhart, a Babi (Hypo, da Áustria) e Mayssa Pessoa (Issy Paris Hand, da França)

Pontas: Alexandra Priscila do Nascimento (Hypo); Jéssica da Silva Quintino (A.D. Blumenau); Fernanda França da Silva (Hypo) e Samira Pereira da Silva Rocha (Hypo)

Armadoras: Mayara Fier de Moura (Mios Bigamos, da França); Ana Paula Rodrigues (Hypo); Francine Camila de Moraes (Hypo); Deonise Fachinello Cavaleiro (Itxaco, da Espanha); Eduarda Idalina Amorim, a Duda (Gyor, da Hungria), Silvia Helena Araujo (Hypo); Moniki Karla Novais Bancilon (Metodista/São Bernardo) e Tayra Rodrigues (Metodista/São Bernardo)

Pivôs: Daniela Piedade, a Dani (Hypo); Fabiana Diniz, a Dara (Bera-Bera, da Espanha) e Alessandra Medeiros (ADC Santo André)

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Fase final da Liga Masculina será em São Bernardo


A Confederação Brasileira de Handebol (CBHb) definiu o local e os horários da fase final da Liga Nacional Masculina de Handebol. As semifinais, a disputa do terceiro lugar e a final serão no Ginásio Adib Moyses Dib, em São Bernardo. O torneio faz parte da programação do evento-teste para o Campeonato Mundial Feminino de Handebol, do qual a cidade do ABC é uma das sedes.

As semifinais da Liga serão disputadas no dia 26. EC Pinheiros (SP) e Unopar Londrina/Sercomtel (PR) abrem a rodada dupla, às 17h30. Em seguida, às 19h30, entram em quadra Metodista/São Bernardo (SP) e TCC/Unitau/Unimed/Taruma/Taubaté (SP). Os vencedores disputam o título no dia 27, às 17h. As três partidas terão transmissão ao vivo pelo canal ESPN Brasil. Na preliminar, às 15h, os perdedores jogam pelo bronze.

A Metodista/São Bernardo terminou a fase de classificação na liderança, com 23 pontos, seguida por EC Pinheiros (18), Unopar Londrina/Sercomtel (14) e TCC/Unitau/Unimed/Taruma/Taubaté (12).

Fase de classificação - Dois jogos ainda serão realizados pela fase de classificação da Liga Masculina. Força Jovem Sport Club (ES) e Itapema/Aceu/Univali/Amaj (SC) se enfrentam no dia 23, às 19h, em Colatina, no Espírito Santo. No dia seguinte, às 20h, o Itapema volta a jogar, desta vez contra o FME Campos (RJ) em Campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro.

A Marca do Handebol SETEMETROS

domingo, 6 de novembro de 2011

Pinheiros (SP) tenta nona vitória na Liga Nacional


O Pinheiros (SP) entra em quadra amanhã (5), de olho na nona vitória na Liga Nacional Masculina de Handebol. Atual vice-líder, a equipe recebe o Força Jovem Sport Club (ES), às 14h, no Ginásio Henrique Villaboim, em São Paulo. Os anfitriões já estão classificados para as semifinais, etapa em que enfrentarão o Unopar Londrina/Sercomtel (PR).

"Queremos que o time tenha um bom rendimento e pegue mais ritmo de jogo, independentemente de ser contra o último colocado (da tabela)", explicou o técnico do Pinheiros, Sérgio Hortelan.

Para a partida, a equipe paulistana terá os reforços dos goleiros Maik e Marcão, dos armadores Zeba e Thiagus e do pivô Bruno Santana, que estavam com a Seleção Brasileira, vice-campeã dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara. "Agora, o foco é a Liga Nacional e a busca pelo título", disse o treinador.

Os capixabas têm a pior campanha da competição. Em dez partidas, venceram apenas uma vez e perderam nove. O Força Jovem encerrará sua participação no torneio no dia 23, contra o Itapema/ACEU/Univali/Amaj (SC), em Colatina (ES).

Programação:

Amanhã (5):
Às 14h, em São Paulo (SP)
EC Pinheiros (SP) x Força Jovem Sport Club (ES)

Dia 23 de novembro
Às 19h, em Colatina (ES)
Força Jovem Sport Club (ES) x Itapema/ACEU/Univali/Amaj (SC)

Dia 24 de novembro
Às 20h, em Campos dos Goytacazes (RJ)
FME Campos (RJ) x Itapema/ACEU/Univali/Amaj (SC)

Dia 26 de novembro (semifinais)
Metodista/São Bernardo (SP) x TCC/Unitau/Unimed/Taruma/Taubaté (SP)
EC Pinheiros (SP) x Unopar Londrina/Sercomtel (PR)

Dia 27 de novembro
19h - Final

domingo, 30 de outubro de 2011

Metodista vence e mantém invencibilidade na Liga


Em jogo válido apenas para cumprir tabela, a Metodista/São Bernardo (SP) venceu hoje (29) o TCC/Unitau/Unimed/Taruma/Taubaté (SP) por 36 a 27 (21 a 13 no intervalo), em casa, e chegou à 11ª vitória na Liga Nacional de Handebol. Com nove gols, o artilheiro da partida foi o ponta Fábio Chiuffa, que retornou à equipe após disputar os Jogos Pan-Americanos de Guadalajara com a Seleção Brasileira. A Metodista lidera a competição.

Na segunda partida do dia, o FME Campos (RJ) bateu o Força Jovem Sport Club (ES) por 29 a 23 (13 a 13 no intervalo). A partida foi disputada em Campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro. O artilheiro foi Carlos Silva, de Campos, com 11 gols marcados.

Enquanto a Metodista, já classificada para as semifinais, encerrou sua participação na Liga, o FME Campos volta às quadras no dia 24 de novembro. Em casa, o time enfrenta o Itapema/ACEU/Univali/Amaji (SC).

Além deste, outros dois jogos fecham a primeira fase: Pinheiros (SP) x Força Jovem (ES), no próximo sábado (5), em São Paulo, e Força Jovem (ES) x Itapema/ACEU/Univali/Amaji (SC), dia 23 de novembro, em Colatina (ES).

Programação:

Hoje (29)

Às 14h, em São Bernardo do Campo (SP)
Metodista/São Bernardo (SP) 36 x 27 TCC/Unitau/Unimed/Taruma/Taubaté (SP)
Primeiro tempo: 21 a 13
Artilheiro: Fábio Chiuffa, Metodista, 8 gols

Às 16h, em Campos dos Goytacazes (RJ)
FME Campos (RJ) 29 x 23 Força Jovem Sport Club (ES)
Primeiro tempo: 13 a 13
Artilheiro: Carlos Silva, Campos, 11 gols

Dia 5 de novembro
Às 14h, em São Paulo (SP)
EC Pinheiros (SP) x Força Jovem Sport Club (ES)

Dia 23 de novembro
Às 19h, em Colatina (ES)
Força Jovem Sport Club (ES) x Itapema/ACEU/Univali/Amaj (SC)

Dia 24 de novembro
Às 20h, em Campos dos Goytacazes (RJ)
FME Campos (RJ) x Itapema/ACEU/Univali/Amaj (SC)

Dia 26 de novembro
17h30 - Semifinal 1
19h15- Semifinal 2

Dia 27
19h - Final


sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Metodista cumpre tabela na Liga contra Taubaté


A Metodista/São Bernardo (SP) tenta, amanhã (29), sua 11ª vitória na Liga Nacional Masculina de Handebol. O adversário, desta vez, será o TCC/Unitau/Unimed/Taruma/Taubaté (SP). A partida, que seria às 16h em Taubaté, ocorrerá às 14h no Baetão, na cidade do ABC. Enquanto a Metodista lidera o torneio com 21 pontos (dez vitórias e um empate), o Taubaté ocupa a quarta posição, com 12 pontos (seis vitórias e cinco derrotas).“Mesmo com a classificação já definida de primeiro até quarto, vamos encarar como um jogo difícil, igual a todos que fizemos contra o Taubaté neste ano. Na semifinal do Paulista (vitória da Metodista por 25 a 18, em Mogi das Cruzes), sábado passado, conseguimos encaixar a defesa. Agora, o objetivo será manter a invencibilidade na Liga Nacional”, afirmou o técnico da equipe de São Bernardo, José Ronaldo do Nascimento, o SB. “Neste jogo, usaremos atletas que estavam com a Seleção no Pan; será bom para esses jogadores que ficaram cinco meses fora se integrarem novamente à equipe”, completou o treinador, referindo-se ao armador Japa, ao pivô Vinícius, ao central Teixeira e ao ponta Fábio Chiuffa. O ponta Renato Tupan, outro que estava no Pan, machucou-se e, por isso, não joga.Também amanhã, o FME Campos (RJ) recebe o Força Jovem Sport Club (ES). A partida será às 16h no Ginásio Municipal Waldir Pereira, em Campos dos Goytacazes. Ambos os times disputam posições na parte de baixo da tabela. Os capixabas estão em sexto, com 2 pontos (uma vitória e oito derrotas), enquanto Campos é o lanterna, com o mesmo número de pontos e vitórias, porém, com uma derrota a mais.Depois da rodada desta rodada, faltarão três partidas para o encerramento do segundo turno da Liga Nacional. No dia 5 de novembro, Pinheiros e Força Jovem se enfrentam em São Paulo. No dia 23, o Força Jovem recebe o Itapema/ACEU/Univali/Amaj (SC) - partida que ocorreria, originalmente, em 30 de setembro. E, no dia 24, o FME Campos enfrenta o Itapema em casa, jogo atrasado do dia 29 de setembro. As semifinais estão agendadas para o dia 26 de novembro, e a decisão será no dia seguinte.Programação:Amanhã (29)Às 14h, em São Bernardo do Campo (SP)TCC/Unitau/Unimed/Taruma/Taubaté (SP) x Metodista/São Bernardo (SP)Às 16h, em Campos dos Goytacazes (RJ)FME Campos (RJ) x Força Jovem Sport Club (ES)Dia 5 de novembroÀs 14h, em São Paulo (SP)EC Pinheiros (SP) x Força Jovem Sport Club (ES)Dia 23 de novembroÀs 19h, em Colatina (ES)Força Jovem Sport Club (ES) x Itapema/ACEU/Univali/Amaj (SC)Dia 24 de novembroÀs 20h, em Campos dos Goytacazes (RJ)FME Campos (RJ) x Itapema/ACEU/Univali/Amaj (SC)Dia 26 de novembro17h30 - Semifinal 119h15- Semifinal 2Dia 2719h - Final

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Seleção Masculina decide título do Pan hoje (24)



Pela terceira edição consecutiva, a Seleção Masculina de Handebol decidirá o título dos Jogos Pan-Americanos contra a Argentina. O confronto será no Ginásio San Rafael, em Guadalajara, nesta segunda-feira (24), a partir das 20h no horário local (23h de Brasília). O Brasil tentará manter a escrita contra os ‘hermanos’, já bateu os rivais nos Jogos de Santo Domingo-2003 e no Rio de Janeiro-2007. Se conquistar o tri no México, o País garante vaga nas Olimpíadas de Londres-2012.
Com tantos confrontos entre as duas equipes, os jogadores já se conhecem bem, o que pode ter vantagens e desvantagens para os dois lados. "Acredito que, no caso de dois times que se conhecem tão bem, levará a melhor aqui no México aquele que estudou o adversário com mais detalhes, buscando encontrar, no vídeo das partidas, os pontos fracos e saber explorar isso dentro de quadra", avaliou o central Bruno Santana, que participou da conquista do bicampeonato no Rio. Além dele, outros seis jogadores conquistaram o ouro em 2007: o ponta-esquerda Borges, o armador-direito Zeba, o armador-esquerdo Jaqson, o central Leo, o goleiro Maik e o ponta-direita Tupan.
Bruno afirmou que, assim como na Seleção Feminina, o que move o grupo em busca de bons resultados é o encontro de gerações. "São várias faixas etárias diferentes e isso é muito bacana. Há aqueles que estão motivados para conquistar sua primeira medalha (como o ponta-direita Chiuffa, de 22 anos), outros que não querem só uma e buscam a segunda, como é o meu caso, e os mais velhos que, se por algum momento estão pensando em parar de jogar, querem a terceira para fechar com chave de ouro (caso de Jaqson, que estava em Santo Domingo e no Rio)".
Outra motivação é o fato de o Brasil chegar com 100% de aproveitamento à decisão do Pan, com quatro vitórias por placares elásticos. Foram três na fase de grupos, contra Canadá (46 a 17), Venezuela (37 a 15) e Chile (36 a 22), e a semifinal, diante da República Dominicana (41 a 17).

Seleção conquista vaga olímpica e o tetra no Pan



A Seleção Feminina de Handebol do Brasil está nas Olimpíadas de Londres. Neste domingo (23), a equipe comandada pelo técnico dinamarquês Morten Soubak derrotou a Argentina por 33 a 15 (15 a 5 no intervalo) e, além de garantir a vaga em Londres-2012, conquistou o tetracampeonato dos Jogos Pan-Americanos. O bronze ficou com a República Dominicana, que derrotou o México por 33 a 31 na prorrogação.
Na reedição da final dos Jogos de Santo Domingo, em 2003, a Argentina não viu a cor da bola. Desde o início, o Brasil foi superior, tanto na parte ofensiva, com destaque para a ponta-direita Alexandra e na defesa, onde brilhou a goleira Chana. Em vantagem no placar desde o início da partida, a Seleção só teve o trabalho de administrar o marcador - e as provocações e jogadas violentas das argentinas - para confirmar a vaga olímpica e o título.
"Conseguimos responder as provocações dentro de quadra, com gols", disse Alexandra, artilheira da partida com oito gols. A camisa 3 também destacou o entrosamento da equipe como um dos fatores responsáveis pela vitória. "O Morten (Soubak, técnico) conseguiu encaixar o jogo entre as atletas que jogam no Brasil e as que jogam fora" afirmou ela. Da Seleção, só atuam no País a armadora Moniky e a ponta Jéssica.
Uma das mais experientes do grupo, a goleira Chana não conteve as lágrimas no pódio. Segundo a camisa 1, o ouro em Guadalajara foi uma retrospectiva da carreira: "Quando subi no pódio, voltaram todos os anos de seleção na cabeça, cada momento, dificuldade e superação", disse a atleta de 32 anos.
Além do ponto mais alto do pódio, a equipe teve a artilheira da competição (a ponta-esquerda Fernanda, com 35 gols) e as goleiras com melhor aproveitamento defensivo. "É um grupo muito forte. Das 15 jogadoras, 11 jogam na Liga Europeia. Estão todas de parabéns", disse o técnico Morten Soubak.
"É uma emoção muito grande. Cumprimos o objetivo, que era a vaga olímpica. É um resultado que vai ajudar muito no desenvolvimento do handebol brasileiro", disse o presidente da Confederação Brasileira de Handebol, Manoel Luiz Oliveira.
O ouro em Gualajara é o quarto consecutivo das meninas do Brasil. Em 2007, no Rio de Janeiro, a vitória veio sobre Cuba. Em 2003, em Santo Domingo, a prata ficou com a Argentina e, em 1999, em Winnipeg, as canadenses, donas da casa, foram as derrotadas.
A campanha vitoriosa da Seleção Feminina em Guadalajara começou com uma goleada por 50 a 10 sobre os Estados Unidos. Depois, o País bateu Uruguai (43 a 15), República Dominicana (32 a 18), México (43 a 12) e, finalmente, a Argentina.
Trote - Uma cena inusitada fez parte da comemoração das meninas. O presidente da Confederação Brasileira de Handebol, Manoel Luiz Oliveira não escapou de ter a barba aparada pelas campeãs. De máquina em punho, as jogadoras foram se revezando para fazer a barba do dirigente, que prometera raspar no caso de as seleções masculina e feminina ganharem o ouro.
"Nunca tinha deixado barba, mas fiz um compromisso que, se o handebal caminhasse bem, ia deixar. E deixei. E prometi que tirararia tudo se conquistássemos os dois ouros. Não sei como, elas descobriram. Mas estou feliz demais, com ou sem barba", explicou.
O "segredo" foi revelado às atletas pela esposa do presidente, Márcia Oliveira. E, amahã (24), na decisão do masculino, ele pode entrar na navalha novamente. "Deixamos o bigode para os meninos cortarem hoje", brincou a pivô Dani Piedade.

Metodista é campeã do Paulistão 2011



Depois de três anos, a ADC Metodista volta a conquistar o Super Paulistão Adulto Masculino de Handebol superando o time de melhor campanha da fase de classificação, o rival EC Pinheiros.
O time do ABC começou melhor que os paulistanos. Quando o Pinheiros subia ao ataque, Ferrugem fechava o gol ou a bola ia na trave. Mais faltoso, Pinheiros cedeu tiros de sete metros e a Metodista conseguiu uma pequena vantagem de cinco gols.
Mas o campeão de 2010 começou a reagir e se aproximar do placar, terminando a primeira etapa com 11 a 13. Os dois times voltaram mais concentrados na etapa final e o placar se manteve apertado até o final da partida. O jogo estava gol a gol nos dez minutos finais. A Metodista tinha uma vantagem de apenas um gol aos 29 minutos da partida, mas se o Pinheiros empatasse, levantaria mais uma vez o troféu de campeão.
E o cronometro estourou sem que o gol do Pinheiros saísse. Final, 22 a 23 para a Metodista. Pato foi eleito o Melhor Jogador das Finais – MVP, o artilheiro dos quatro jogos foi Thiago Santos, com 14 gols, e Álvaro Herdeiro, técnico da Hebraica, recebeu o troféu de Melhor Técnico. Taubaté venceu a partida contra a Hebraica por 31 a 19 e ficou com o terceiro lugar.
Veja os premiados do dia:
Melhor Goleiro das Finais: Ferrugem, Metodista
Melhor Ponta esquerda: Alemão, Taubaté
Melhor Lateral esquerda: Guilherme, Pinheiros
Melhor Armador central: Guga, Metodista
Melhor lateral direito: Pato, Metodista
Melhor Ponta direita: Santista, Pinheiro
Melhor pivô: Duplex, Taubaté
Parabéns Metodista pela grande conquista e parabéns também para Pinheiros, Taubaté e Hebraica pela grande final!






Fonte: FPHand

domingo, 23 de outubro de 2011

Final do Paulistão hoje as 18hs ao vivo na ESPN Brasil



Assista hoje dia 23/10 ao vivo as 18hs, o grande classico do handebol brasileiro Meteodista x Pinheiros, na grande final do Paulistão 2011. A FPHand esta dando um exemplo de como é feito um evento de verdade, para bens aos novos dirigentes do Handebol Paulista.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Irmãos fazem da defesa brasileira a menos vazada



Irmãos, colegas de clube, de Seleção Brasileira de Handebol e acostumados a se revezar debaixo das traves, os goleiros Maik e Marcão têm uma tática peculiar para reduzir o número de gols sofridos pela equipe: quem entra durante a partida tem a missão de ser menos vazado do que o outro. A dupla evita usar a palavra "aposta" quando fala desse revezamento, que vem dando frutos em Guadalajara. Com 54 gols sofridos (média de 18 por partida), o Brasil tem a melhor defesa do Pan.
Neste sábado (22), ambos estarão na quadra do Ginásio San Rafael. O Brasil enfrenta a República Dominicana às 10h (13h de Brasília) e, se vencer, assegura vaga na final. Em caso de medalha de ouro, a Seleção, atual bicampeã pan-americana, garante vaga nos Jogos Olímpicos de 2012. E, mais uma vez, a dupla colocará em prática a tática que vem dando certo no México.
"É uma estratégia de meta por jogo, já que um costuma atuar no primeiro tempo e o outro, no segundo. Desenvolvemos esse trabalho para nos incentivar a ganhar a partida, porque, na segunda etapa, a defesa costuma voltar mais relaxada e tende a levar mais gols. Em geral, quando tomamos menos de 30, somos sérios candidatos a vencer", explicou Marcão, de 35 anos. Ele contou que o objetivo é sofrer, no máximo, dez gols na metade inicial.
"Fazemos isso mais ativamente desde 2009, no Pinheiros (clube em que atuam)", explicou o caçula Maik, de 31 anos. Quando os dois defendiam a Metodista, o rodízio era praticado com menos frequência, porque Maik era mais novo e, por isso, jogava menos que o irmão. Se, no Pinheiros, a decisão de quem será o titular é tomada por eles mesmos, na Seleção, quem decide é o técnico Javier Garcia Cuesta.
A dupla não soube responder quantos gols cada um já sofreu nas três partidas até aqui no Pan por conta do revezamento. Contra o Chile, na quinta-feira (20), Maik foi o titular e Marcão entrou no segundo tempo, mas foi substituído minutos depois pelo caçula. "Isso já aconteceu comigo em um amistoso contra a Cuba, antes do Pan. O time voltou no segundo tempo e abrimos vantagem, mas a defesa relaxou e tomamos quatro gols. Assim, o Javier me tirou e entrou o Marcão", contou Maik, líder das estatísticas gerais em Guadalajara entre os goleiros, com 60% de aproveitamento nas defesas.
Além da disputa particular, a estratégia serve para motivar os companheiros a tomar cada vez menos gols. Os irmãos só acham difícil cumprir o objetivo de levar, no máximo, dez gols nos primeiros 30 minutos contra a Argentina, na provável decisão do ouro. "É um time mais agressivo, mas entramos sempre com o foco na nossa estratégia", disse Maik.

Credenciamento de imprensa para o Mundial Feminino



O credenciamento dos veículos de imprensa para a cobertura do XX Campeonato Mundial Feminino de Handebol, que será disputado de 2 a 18 dezembro no Estado de São Paulo, segue até o dia 30 de outubro e não será prorrogado. Solicitamos aos profissionais interessados na cobertura da competição que façam o credenciamento pelo site http://www.handballbrazil2011.com/, no link http://www.handballbrazil2011.com/pt/imprensa.asp, localizado do lado direito da página.
No total, 24 países disputarão o Mundial, divididos em quatro cidades: São Paulo (Capital), São Bernardo do Campo, Barueri e Santos. O Brasil está no Grupo C, ao lado de Romênia, França, Tunísia, Cuba e Japão, seleções que jogarão a primeira fase no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo.
Campeã olímpica em 2008, a Seleção da Noruega está no Grupo A, com Montenegro, Angola, Alemanha, China e Islândia. As partidas serão disputadas na Arena Santos.
Vencedora das últimas três edições, a Rússia está no Grupo B, junto com Cazaquistão, Holanda, Coréia do Sul, Espanha e Austrália. Essas seleções jogarão no Ginásio José Corrêa, em Barueri.
No Grupo D estão Suécia, Croácia, Dinamarca, Argentina, Costa do Marfim e Uruguai. Os jogos dessa chave ocorrem no Ginásio Adid Moysés Dib, em São Bernardo do Campo.

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

'Em casa', meninos garantem 100% no Pan



Apoiada por uma barulhenta torcida infantil, a Seleção Brasileira Masculina de Handebol venceu nesta quinta-feira (20) o Chile por 36 a 22 (15 a 9 no primeiro tempo), conquistando sua terceira vitória nos Jogos Pan-Americanos. Antes dos chilenos, o Brasil havia vencido o Canadá na estreia (46 a 17) e a Venezuela (37 a 15). Com isso, a equipe, que já estava classificada para a semifinal, encerrou a primeira fase na liderança do Grupo A.A terceira vitória brasileira não foi tão fácil quanto as duas anteriores. Os chilenos marcaram forte e, no início do jogo, chegaram a ficar à frente no placar. Porém, com grandes defesas do goleiro Maik e velocidade nos contra-ataques, o Brasil virou e comandou a partida até o fim.Para o técnico Javier Garcia Cuesta, a Seleção foi bem contra o Chile, sobretudo nos contra-ataques. "O objetivo era defender e contra-atacar. Mas temos de melhorar a finalização na fase final", alertou. A equipe canarinho teve torcida especial no encerramente da primeira fase: cerca de 140 crianças da Escola Claudia Estrada, de Guadalajara. Os pequenos mexicanos, com idade média de 7 anos, gritaram pela Seleção praticamente o tempo todo. Foi a primeira partida do Pan que elas assistiram no ginásio. E curtiram o espetáculo. "Gostei muito do jogo e do Borges. Além de atacar, ele era o que mais defendia", disse a pequena Claudia Marissol, referindo-se ao ponta-esquerda, artilheiro de hoje com dez gols."É muito legal ver essa torcida. Estamos sentindo o carinho do México como se estivéssemos no Brasil. Talvez seja por causa da Copa de 70", afirmou o armador Japa, autor de três gols, referindo-se ao Mundial em que a Seleção de futebol foi tricampeã. "No Brasil, vemos essa euforia quando visitamos as Escolinhas da Metodista. É legal ver a garotada gritando o jogo inteiro", completou.Segundo a diretora da escola, Claudia Estrada, o carinho do povo mexicano pelo Brasil vem, de fato, desde a Copa de 1970, mas foi reforçado em solo mexicano, pouco antes do Pan. "As crianças da nossa escola começaram a torcer mais ainda pelo Brasil depois que viram a festa de abertura, pela TV. Elas acharam a delegação muito vibrante no desfile."No sábado (22), às 13h (de Brasília), o Brasil volta ao Ginásio San Rafael. O adversário será o perdedor do duelo entre Argentina e República Dominicana, que disputam o primeiro lugar do Grupo B às 21h (de Brasília) desta quinta (20). O líder do Grupo B encara o Chile na outra semifinal.

Seleção Feminina vence a terceira no Pan


A central Ana Paula ganhou um belo presente de aniversário nesta quarta-feira (19): mais uma vitória da Seleção Brasileira Feminina de Handebol nos Jogos Pan-Americanos, em Guadalajara, desta vez contra a República Dominicana por 32 a 18 (19 a 11 no primeiro tempo).

As comandadas do técnico dinamarquês Morten Soubak, que terminaram em primeiro lugar no Grupo B, entraram na quadra do Ginásio San Rafael já classificadas para a semifinal, após as vitórias sobre Estados Unidos (50 a 10), na estreia, e Uruguai (43 a 15). Por uma vaga na decisão, a equipe pega na sexta-feira (21), às 23h (de Brasília), o perdedor entre México e Argentina, que se enfrentam hoje (19) às 23h (de Brasília).

Não foi a primeira vez que Ana Paula passou a data com o grupo. "Acho que é meu terceiro ou quarto aniversário com as meninas. Melhor ainda é comemorar com vitória. Foi muito gostoso. Elas são carinhosas", afirmou a camisa 9, que completou 24 anos ontem (18). "Espero que continuemos assim, vencendo até o fim", disse a jogadora, autora de três gols no confronto com as dominicanas. A artilheira da partida foi a ponta-esquerda Fernanda, com oito.

A partida, no entanto, não foi fácil. Embora tenham superado as rivais no primeiro tempo, as brasileiras chegaram a ficar atrás no marcador. Na avaliação de Morten Soubak, isso já era esperado: "A cada jogo, é natural ficar um pouco mais difícil. O time da República Dominicana é forte fisicamente. Estou satisfeito por termos cumprido o objetivo de terminar em primeiro lugar na chave", disse o treinador.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Seleção Masculina vence e avança à semifinal


A Seleção Brasileira Masculina de Handebol conquistou hoje (18) sua segunda vitória nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, no México, e garantiu vaga na semifinal por antecipação. Desta vez, a vítima foi a Venezuela, goleada por 37 a 15 (19 a 8 no primeiro tempo) no Ginásio San Rafael. O Brasil busca o tricampeonato do torneio, após os títulos nos Jogos de Santo Domingo-2003 e Rio de Janeiro-2007. O campeão no México garante vaga nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012.

A Seleção, que havia estreado com vitória no domingo (16) sobre o Canadá por 46 a 17, voltou a vencer com grande tranquilidade. A Venezuela, derrotada na estreia pelo Chile, só ofereceu certa resistência nos primiros minutos. "O começo da partida foi complicado, porque eles (venezuelanos) surpreenderam e correram bastante. Depois, impusemos nosso jogo", disse Borges, que evitou falar na semifinal, possivelmente contra a República Dominicana. "Primeiro, temos que pensar no próximo jogo (na quinta-feira, contra o Chile). Vamos caminhar degrau por degrau", afirmou o ponta.

O armador Jaqson acha que o Brasil poderia ter tido melhor atuação. "O jogo foi atípico. A Venezuela é forte. Entramos um pouco relaxados, mas depois colocamos o nosso ritmo. Poderíamos ter levado menos gols e feito mais. Mas está bom, ganhamos", comentou.

O técnico da Seleção Brasileira, o espanhol Javier Garcia Cuesta, fez um alerta e disse que a equipe precisa melhorar em alguns aspectos nas próximas partidas. "No geral, jogamos bem. Tivemos falhas de organização no contra-ataque e erros de passe. Pecamos nisso e vamos trabalhar para melhorar."

O Brasil está no Grupo A, ao lado de Canadá, Chile e Venezuela. Na Chave B estão México, Estados Unidos, República Dominicana e Argentina. Os dois primeiros de cada chave garantem vaga na semifinal

Programação:

Quinta-feira (20), às 13h (16h de Brasília) - Brasil x Chile - com Record

sábado, 15 de outubro de 2011

Seleção Feminina atropela EUA na estreia do Pan


O peso da estreia não foi problema para a Seleção Brasileira Feminina de Handebol, que deu show em sua primeira apresentação nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara. As brasileiras, que buscam o tetracampeonato do torneio, massacraram os Estados Unidos por 50 a 10 em partida disputada na tarde de hoje (15) no Ginásio San Rafael. O título no México vale vaga nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012.

A equipe nacional imprimiu velocidade desde os primeiros minutos. Com defesa eficiente e contra-ataques rápidos e bem organizados, o Brasil logo abriu vantagem de 12 gols. A Seleção manteve-se à frente também no segundo tempo, sem permitir que as norte-americanas encostassem. A superioridade foi tão grande que, após o quinto gol, as adversárias ficaram 15 minutos sem balançar a rede. Nos minutos finais, o time comandado pelo dinamarquês Morten Soubak apenas administrou o placar.

As brasileiras eram só alegria no vestiário. O treinador não poupou elogios às suas comandadas. “Parabéns! Essa não foi somente uma vitória. Foi uma vitória com estilo. Mostramos que, aqui no Pan, será difícil jogar contra o Brasil. A Mayara e a Ana Paula (centrais) jogaram muito bem. Elas deram exemplo”, elogiou Morten.

Outro destaque do Brasil no confronto, a capitã Dara também ficou satisfeita com o desempenho da Seleção. “Toda estreia tem um peso e temos grande responsabilidade nessa competição. Conseguimos não só vencer, mas convencer. Alcançamos nosso objetivo de não perder a concentração em nenhum momento e de dar o nosso melhor”, destacou a pivô.

A Seleção volta à quadra na segunda-feira (17) para a segunda partida da fase de grupos, contra o Uruguai, a partir das 20h (23h de Brasília), novamente no Ginásio San Rafael. O Brasil está no Grupo B, ao lado de Uruguai, República Dominicana e Estados Unidos. No Grupo A estão Argentina, México, Porto Rico e Chile. As duas melhores equipes de cada chave avançam às semifinais.

Tabela do Brasil - Fase de grupos

Segunda-feira (17), às 20h (23h de Brasília) - Brasil x Uruguai
Quarta-feira (19), às 13h (16h de Brasília) - Brasil x Repúlica Dominicana

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Londrina perde para o Taubaté pela Liga Masculina


Mesmo jogando em casa, o Unopar Londrina/Sercomtel (PR) foi derrotado hoje (13) à noite pelo TCC/Unitau/Unimed/Tarumã/Taubaté (SP) por 29 a 27 (14 a 14 no primeiro tempo) pela Liga Nacional Masculina de Handebol. Thiago, do Taubaté, foi o artilheiro do duelo com nove gols.

Já a Metodista/São Bernardo bateu na tarde de hoje (13) o Itapema/Aceu/Univali/AMAJ (SC) por 26 a 24 (14 a 11 no primeiro tempo), em Itajaí. Líder do torneio e ainda invicta, a equipe paulista conquistou sua nona vitória em dez jogos. O artilheiro do jogo foi Ramon de Oliveira, do Itapema, com dez gols.

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Finais do Paulista e atividades movimentarão Mogi Mirim


As Finais do Super Paulistão Adulto Masculino 2011 acontecerão na cidade de Mogi Mirim, em parceria com o Clube Mogiano, nos dias 21, 22 e 23 de Outubro, com transmissão ao vivo dos canais ESPN.

As partidas semifinais e finais do Paulistão serão no sábado e domingo, respectivamente. Em paralelo, diversas atividades movimentarão o final de semana. Dentre elas, um festival de handebol, jogos recreativos e gincanas culturais, como também um curso de capacitação de professores, delegados e árbitros, envolverão toda a comunidade do handebol e fãs do esporte durante o evento.

A realização das Finais fora do eixo Grande São Paulo busca a criação de novos polos de desenvolvimento da modalidade, além aproximar o handebol ao interior de São Paulo. O Clube Mogiano possui um ginásio recém-inaugurado, com capacidade para 2500 pessoas. Há ainda auditório e salas para Congresso Técnico para 200 pessoas.

Quatro equipes disputarão as Finais e todas já se classificaram. Os finalistas de 2010, EC Pinheiros e Metodista, vão se juntar à TCC/Unitau/Taubaté e AB “A Hebraica” para a disputa do troféu deste ano.O primeiro lugar confrontará o quarto colocado, enquanto segundo e terceiro melhores posicionados se enfrentarão na outra semifinal.O atual campeão Pinheiros tentará vencer os vizinhos da Hebraica para buscar uma vaga na final, e Taubaté e Metodista brigarão pela outra.Enquanto Pinheiros já se sagrou 27 vezes campeão e a Metodista oito, Hebraica e Taubaté ainda não ergueram o troféu do Campeonato Paulista.

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Seleção Masculina treina completa em Guadalajara


Em Guadalajara desde o último sábado (08), a Seleção Brasileira de Handebol segue forte o ritmo de preparação para os Jogos Pan-Americanos, que serão disputados no México do próximo sábado (15) até o dia 30 desde mês, com disputas de handebol até o dia 25. Os treinamentos da equipe começaram no domingo (09) e, hoje (12) a equipe entrou em quadra, já com o pivô Ales e o ponta-esquerda Felipe Borges, que, por estarem na Europa com seus times, chegaram por último à concentração.

O treino desta tarde foi realizado no Ginásio San Rafael, espaço do Pan reservado para as atividades do handebol. O técnico da Seleção, Javier Garcia Cuesta, destacou que está ajustando os últimos detalhes e, provavelmente a partir de sexta-feira, fará treinos mais focados no Canadá, adversário da estreia, no domingo (16), às 13h (16h de Brasília). "Seguimos a linha de preparação que vínhamos tendo no Brasil e, também, com a integração de Ales e Borges, que será bem tranquila, já que os dois estiveram em diversas fases de treinamentos neste ano. Mais próximo do jogo, vamos estudar o Canadá com mais detalhes".

Sobre a expectativa pela conquista do ouro, Javier disse que esse é o objetivo final, claro, mas que é necessário pensar em cada etapa. "O normal e esperado é que dê Brasil e Argentina na decisão. Mas para que isso se concretize, precisamos, primeiro, focar jogo a jogo e é nesse sentido que vamos trabalhar; cada adversário sendo o mais importante no momento da partida", completou o treinador.

Amanhã (13), a equipe terá o dia livre e, na sexta-feira (14), serão dois treinamentos, um pela manhã e um à tarde, com horários a serem confirmados. A Seleção Masculina conta os goleiros irmãos Maik e Marcão; os armadores Fernando Pacheco, o Zeba, Gustavo Nakamura, o Japa, além de Jaqson e Thiagus Petrus; os pontas Fábio Chiufa, Renato Tupan, Gil Vicente e Felipe Borges; os centrais Bruno Santana, Henrique Teixeira e o capitão Leonardo Bortolini; e os pivôs Ales e Vinícius Santos.

Tabela do Brasil na fase de grupos:

Dia 16/10, às 13h (16h em Brasília) - Brasil x Canadá
Dia 18/10, às 20h (23h) - Brasil x Venezuela
Dia 20/10, às 13h (16h) - Brasil x Chile

Seleção Feminina inicia treinos em Guadalajara


A Seleção Brasileira Feminina de Handebol realizou seu primeiro treinamento no México na noite de ontem (11), no Ginásio San Rafael, espaço dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara reservado para a modalidade, que terá suas disputas do próximo sábado (15) até o dia 25 deste mês.

O treino teve a equipe completa com a presença das 15 jogadoras que compõem o grupo que disputará o Pan: as goleiras Chana e Bárbara, a Babi; as pontas-direita Alexandra e Jéssica; as pontas-esquerda Fernanda e Samira; as centrais Mayara e Ana Paula; as armadoras-direita Francine e Deonise; as armadoras-esquerda Duda Amorim, Sílvia Helena e Moniky; e as pivôs Dani Piedade e Fabiana Diniz, a Dara.

Morten Soubak, treinador da Seleção, ficou muito satisfeito com o desempenho do time nesse primeiro treinamento. "Conseguimos organizar contra-ataques muito bons, começando devagar e tocando a bola, para depois aumentar a velocidade e, na área, escapar de duas defensoras. Transição defesa-ataque rápida, com passes certos e sem levar faltas: esse é nosso o desafio".

A Seleção volta à quadra para treinar hoje (12), das 17h às 18h30 (entrevistas após o treino), e amanhã (13), das 18h30 às 20h (entrevistas antes do treino, das 18h às 18h20). Na sexta-feira (14), o horário ainda não foi confirmado.

Tabela primeira fase (horário de Brasília):

Sábado (15), às 15h - Brasil x Estados Unidos
Segunda-feira (17), às 23h - Brasil x Uruguai
Quarta-feira (19), às 16h - Brasil x Republica Dominicana

Metodista defende invencibilidade na Liga


Dois jogos serão realizados amanhã (13) pelo Segundo Turno da Liga Nacional Masculina de Handebol. Líder do campeonato e ainda invicta, a Metodista/São Bernardo (SP) vai a Itajaí, em Santa Catarina, onde enfrenta o Itapema/Aceu/Univali/AMAJ (SC), às 16h30. Em Londrina, o Unopar/Londrina/Sercomtel (PR) recebe o TCC/Unitau/Unimed/ Tarumã/Taubaté (SP), às 20h.

José Ronaldo do Nascimento, o SB, técnico da Metodista, comentou sobre a importância da partida para a sua equipe. "Se vencermos, garantimos o primeiro lugar na classificação. Será um jogo difícil, mas temos a responsabilidade da vitória", disse o treinador. Em nove jogos, a equipe paulista conseguiu oito vitórias e teve apenas um empate. Do outro lado, o Itapema ainda briga para conseguir vaga na semifinal.

Já garantido na semi e ainda na disputa pela ponta, o Londrina entra em quadra como favorito diante do Taubaté, mas o técnico Giancarlos Ramirez prega cautela. "Taubaté tem um bom padrão de jogo e defesa forte, com muito contato. No último jogo contra eles, vencemos por apenas um gol (28 a 27). " A equipe, que vem de duas vitórias seguidas no torneio, terá como grande novidade o retorno do goleiro Rick, qua estava treinando com a Seleção Brasileira que vai disputar os Jogos Pan-Americanos, no México.

Marcos Ricardo de Oliveira, técnico de Taubaté, sabe que não vai ter facilidade. "Em casa, Londrina é uma das equipes mais difíceis de serem batidas no Brasil. O time é bom e a torcida sempre lota o ginásio", comentou. Mesmo assim, ele aposta num jogo equilibrado, em que sua equipe vai entrar em quadra com grande motivação. "Um resultado positivo pode nos garantir a vaga na semifinal", justificou

domingo, 9 de outubro de 2011

Metodista vence Blumenau e conquista o hexa da Liga


Foi suado, difícil, mas a Metodista conquistou seu sexto título consecutivo da Liga Nacional Feminina de Handebol. Na noite deste domingo, no ginásio Falcão, em Praia Grande, litoral paulista, o time de São Bernardo venceu Blumenau por 21 a 19. No confronto das duas jogadoras convocadas para a seleção brasileira que disputará os Jogos Pan Americanos do México, vitória para Moniky diante de Jéssica, que se apresentam nesta segunda-feira para vestir a camisa do Brasil. Na decisão o grande destaque ficou com a goleira Ariadne, que com defesas fundamentais assegurou a conquista.

“Na verdade estou ali para defender e tento fazer a minha parte, mas nada poderia acontecer sem a ajuda das companheiras, que fecham um dos lados do chute para eu me concentrar e defender o outro. Apesar de ser meu quarto título nacional sempre tem um sabor diferente e não existe gosto melhor do que ser campeã!”, finalizou Ariadne.

A escolha como a melhor jogadora da final veio do seu próprio técnico, Eduardo Carlone, que chegou à sua sexta final e conquistou o sexto título nacional.

“No vestiário, na preleção, disse às jogadoras que todas devem sentir um friozinho na barriga antes de uma decisão. Enquanto a gente tiver isso, deve continuar. Quando acabar, vamos para o interior descansar e curtir a vida. Meu time se desconcentrou um pouco quando abrimos cinco gols de vantagem, mas graças às defesas da Ariadne, o nome do jogo, vencemos!”, completou o treinador.

A partida foi bastante equilibrada durante os dois tempos e nem mesmo dois apagões elétricos parciais no ginásio Falcão na segunda etapa e que levaram o jogo a ficar interrompido por 25 minutos, tiraram o ânimo das jogadoras, que concordaram em atuar mesmo com condições de baixa luminosidade.

“Perdemos a partida em três vezes que fomos ao ataque e nos precipitamos, além de a Jéssica não estar num dia feliz, pois foi sua primeira convocação para a seleção e a primeira Liga. “, analisou o técnico de Blumenau, Sérgio Graciano.

METODISTA - Ariadne, Célia, Thamiris, Rosária, Tayra, Atalita, Adriana, Regis, Moniky, Técnico: Eduardo Carlone. BLUMENAU - Kelly, Josinha, Jéssica, Fabi, Thaís, Scheila, Preta, Ariane, Pará, Ana Amorin, Kelly. Técnico: Sérgio Graciano. ÁRBITROS - Rogério Pinto (SP) e Nilson Menezes (SP).

Medalha de bronze:

Na preliminar, na disputa da medalha de bronze, Concórdia mostrou superioridade diante de Caxias do Sul, venceu por 26 a18 e garantiu o terceiro lugar e presença no pódio.

“Na semifinal diante da Metodista nós as respeitamos demais e não acreditamos que poderíamos vencer, que poderíamos fazer um jogo igual com elas. Antes dessa, a última partida contra elas perdemos por um gol de diferença na casa delas. Contra Caxias foi totalmente diferente, pois nossa marcação e transição funcionaram muito bem, o que não fizemos na semi e a conquista da medalha de bronze veio”, disse o técnico de Concórdia, Alexandre Schneider.

CONCÓRDIA - Jéssica Silva, Suzana, Agda, Tamires, Amanda, Isabella, Giórgia, Patrícia, Mariana, Myllena, Kelly, Marjorie, Luciane. Técnico: Alexandre Schneider. CAXIAS DO SUL - Dani, Manu, Isa, Chica, Alê, Chicória, Dani Joia, Jhey, Ieda, Laís, Kety. Técnico: Gabriel Citton. ÁRBITROS - Sérgio Souza (SC) e Clodoaldo Paz (SC).

sábado, 8 de outubro de 2011

São Bernardo e Blumenau farão final da Liga Feminina


Metodista/São Bernardo (SP) e Blumenau/Furb (SC) decidirão o título da Liga Nacional Feminina de Handebol pelo sexto ano consecutivo. As semifinais foram disputadas hoje (08) , no Ginásio Falcão, na Praia Grande, no litoral paulista, que será o mesmo palco da final, marcada para amanhã (09), às 18h, com transmissão ao vivo da ESPN Brasil.

A equipe do ABC se classificou para o confronto decisivo após derrotar o UnC/Concórdia (SC) por 28 a 20, e o time catarinense venceu o Luna Alg/Apah/UCS/Caxias do Sul (RS) por 28 a 24. Também amanhã, um pouco mais cedo, às 16h, Concórdia e Caxias do Sul se enfrentam na mesma quadra para a disputa da medalha de bronze.

E essa final será, mais uma vez, a chance de o Blumenau quebrar a sequência de cinco títulos da Metodista/São Bernardo (2006-2010), que busca, portanto, o hexacampeonato. Além disso, a partida colocará frente à frente duas jogadoras convocadas para os Jogos Pan-Americanos de Guadalajara: Moniky Bancilon, do time do ABC, e Jéssica Quintino, de equipe do Sul. Na segunda-feira (10), as atletas embarcam para o México, uma com o ouro e outra com a medalha de prata.

"O grupo está muito focado para a partida de amanhã, que será decidida em detalhes; uma finalização errada ou um tiro de sete metros perdido poderá colocar tudo a perder. As duas equipes estão muito bem, taticamente e fisicamente. Vai depender muito do momento, de como vamos nos comportar dentro de quadra. E como o título é definido em um só jogo, é fundamental ter tranquilidade", avaliou Sérgio Graciano, técnico do Blumenau. "Disse para as minhas atletas que já sabemos como é voltar para casa cinco vezes como vice-campeãs. Agora, temos de experimentar como é voltar campeãs; é com esse espírito que entraremos em quadra", completou.

Eduardo Carlone, treinador da Metodista/São Bernardo, adiantou que prevê um confronto equilibrado e que, apesar de ser a sexta final da Liga Feminina entre os mesmo adversários, cada ano é diferente. "A equipe está bem e focada no objetivo. Embora seja a sexta vez que vamos enfrentar o Blumenau na decisão da Liga, é outra história, porque há jogadoras que estão há bastante tempo no time, mas há atletas novas também. Eles se reforçaram bastante para esta temporada, e o título estará em boas mãos, seja para qual lado for, porque as duas equipes são bem estruturadas e dão grande contribuição para o handebol brasileiro", finalizou.

Serviço:

Terceiro lugar
16h - UnC/Concórdia (SC) x Luna Alg/Apah/UCS/Caxias do Sul (RS)

Final
18h - Metodista/São Bernardo (SP) x Blumenau/Furb (SC)

Data: Amanhã (09)

Local: Ginásio Falcão - Avenida Presidente Kennedy, s/nº, Vila Mirim, Praia Grande - SP

Fase final da Liga Feminina neste final de semana


De 2006 a 2010, foram cinco título da Metodista/São Bernardo (SP) em cima do Blumenau/Furb (SC) na Liga Nacional Feminina de Handebol. A competição deste ano chegou à fase final, e será realizada neste final de semana em palco neutro, o Ginásio Falcão, na Praia Grande (SP), que, frequentemente, recebe amistosos das Seleções Masculina e Feminina. As semifinais serão disputadas amanhã (08), com Blumenau/Furb (SC) x Luna Alg/Apah/UCS/Caxias do Sul (RS), a partir das 10h, e Metodista/São Bernardo (SP) x UnC/Concórdia (SC), às 12h.

E, no domingo, a quadra do litoral paulista volta a ficar movimentada com a disputa do terceiro lugar, a partir das 16h, e a grande decisão, às 18h. Um dos ingredientes que apimentarão a fase decisiva da competição, portanto, será a possibilidade de, pela sexta vez seguida, o título ser decidido entre Metodista/São Bernardo (SP) e Blumenau/Furb (SC), e caso isso aconteça, duas convocadas para o Pan de Guadalajara se enfrentarão: Moniky Bancilon, do time do ABC, e Jéssica Quintino, pelas catarinenses.

Na segunda-feira (10), as duas embarcam para o México, onde terão o mesmo objetivo de ir à final, mas, dessa vez, jogando do mesmo lado, o do Brasil."Caso a gente se cruze na final, com certeza teremos várias jogadas individuais e aí, não dá nem pra pensar quem estará do outro lado. É cada um por si e Deus por todos", brincou Moniky, armadora-esquerda da Seleção. "Na Liga não tem essa de amiga não. Só quando sairmos de quadra. Mas será bom; jogar contra também ajuda a nos conhecermos melhor, o que facilita o entrosamento na hora de jogarmos juntas", completou Jéssica, ponta-direita da equipe nacional.

Blumenau/Furb (SC) terminou a fase de classificação em segundo, com 18 pontos, conquistados em oito vitórias, dois empates e duas derrotas, enquanto Luna Alg/Apah/UCS/Caxias do Sul (RS) ficou na terceira posição, com 14 pontos, após sete vitórias e cinco derrotas. Metodista/São Bernardo (SP) encerrou a primeira fase na ponta da tabela, com 22 pontos e uma ótima campanha: 11 vitórias e apenas uma derrota. Já UnC/Concórdia (SC) foi o quarto colocado, com 14 pontos; seis vitórias, dois empates e quatro derrotas.

Expecativas dos técnicos para as semifinais:

Blumenau/Furb (SC) x Luna Alg/Apah/UCS/Caxias do Sul (RS)
* Sérgio Graciano, Blumenau/Furb (SC): "Na fase de classificação, vencemos o Luna em casa por 1 gol e perdemos fora de casa, também por 1 gol. Então, já dá para imaginar que será uma partida bastante equilibrada".

* Gabriel Citton, Luna/Alg/Apah/UCS/Caxias do Sul: "Teremos muitas dificuldades, porque o Blumenau é favorito. Será um jogo muito intenso, mas tenho certeza de que as nossas atletas vão dar o máximo para vencer e garantir vaga na decisão".

Metodista/São Bernardo (SP) x UnC/Concórdia (SC)
* Eduardo Carlone, Metodista/São Bernardo (SP): "Estamos prontos para amanhã, mas com os pés no chão, sabendo que o jogo será muito duro, principalmente pelo bom trabalho que o técnico do UNC/Concórdia vem fazendo".

* Alexandre Schneider, UnC/Concórdia (SC): "Poderemos contar com a Tamiris (pivô), que se recuperou e deverá participar de uma parte do jogo, e com a Kelly (armadora), que está de volta, após uma cirurgia no joelho. Então, estamos muito felizes porque esperamos por esse momento de ter a equipe completa".

Serviço:
Ginásio Falcão - Avenida Presidente Kennedy, s/nº, Vila Mirim, Praia Grande - SP

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Itapema e Pinheiros fazem jogo único da Liga Masculina


O 2º Turno da Liga Nacional Masculina de Handebol terá sequência no próximo domingo (9), com jogo único entre Itapema/Aceu/Univali/Amaj (SC) e Esporte Clube Pinheiros (SP), a partir das 17h, no Ginásio de Esportes da Univali, em Itajaí, Santa Catarina.

O Itapema volta a jogar em casa, após a vitória sobre o Unopar Londrina/Sercomtel (PR) por 31 a 25, em partida disputada no mês de agosto. E a equipe paulista viaja amanhã (07) à noite rumo ao Sul do Brasil, na expectativa de conquistar sua sexta vitória na competição. Na última rodada, o EC Pinheiros foi derrotado no clássico contra a Metodista (SP) por 31 a 29.

Sérgio Hortelan, técnico do time visitante, acredita em um bom resultado, apesar de ter seis desfalques para o confronto: os goleiros Maik e Marcão, o armador direito Zeba, o armador esquerdo Thiagus e o central Bruno, que estão com a Seleção para disputar o Pan de Guadalajara, além do pivô Tchê, que recupera-se de dores nas costas. “Estaremos desfalcados e sabemos das dificuldades que sempre temos quando jogamos em Santa Catarina. Mas vamos confiantes em conquistar mais esse resultado positivo”.

Serviço:

Jogo: Itapema/Aceu/Univali/Amaj (SC) x Esporte Clube Pinheiros (SP)

Data e horário: Domingo (09), às 17h

Local: Ginásio de Esportes da Univali (Rua Uruguai, 458 em Itajaí - Santa Catarina)

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Seleção Masculina embarca amanhã para o México



Malas prontas e um objetivo bem claro: conquistar a medalha de ouro e garantir vaga nas Olimpíadas de Londres-2012. É nesse clima de boas expectativas que a Seleção Olímpica Masculina de Handebol embarca amanhã (07) para o México, rumo aos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, partindo do Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, no voo AM0015, marcado para as 22h55.

O título também sigificará o tricampeonato, já que a equipe nacional subiu ao lugar mais alto do pódio nas últimas duas edições da competição, em Santo Domingo-2003 e no Rio de Janeiro-2007. Serão 15 jogadores defendendo as cores do Brasil em solo mexicano, sob o comando do técnico Javier Garcia Cuesta, e dois deles, o ponta-direita Renato Tupan e o armador Jaqson Kojoroski, fizeram parte das duas conquistas.

“ A objetivo é o mesmo: conquistar o título. Mas jogar em casa, como foi no Rio, tem a diferença que, apesar de a pressão ser muito maior, temos o apoio da torcida o tempo todo. Lembro que na final, tinha mais ou menos três mil pessoas no ginásio. No México, vamos jogar em campo neutro e será complicado novamente. Sabemos que ganhar o Pan não significa somente garantir vaga nas Olimpíadas. É mais do que isso; representa a continuidade e o fortalecimento do projeto do handebol brasileiro que está sendo desenvolvido para 2016. Estamos muito focados, bem preparados e, como nos disse o Javier, agora é a hora de colher os frutos”, destacou Tupan.

A agenda da Seleção em Guadalajara começa no domingo (09), com os primeiros treinamentos. O pivô Ales e o ponta-esquerda Felipe Borges, estão na Europa com seus times, Ciudad de Logroño e Ademar León, respectivamente, e chegam no México no dia 10. “Vamos trabalhar forte no México, assim como fizemos durante o ano todo. Os treinos serão ainda mais importantes depois que Ales e Borges se juntarem ao grupo, porque aí será possível dar ritmo à equipe completa e coroar a boa preparação que fizemos”, comentou o treinador.

O Brasil está na chave A e, dessa forma, terá como adversários na primeira fase Canadá, na estreia, dia 16, às 13h (15h em Brasília), Venezuela no dia 18 e Chile no dia 20. A Argentina, grande rival da Seleção, está no grupo B, ao lado de Estados Unidos, República Dominicana e México. O dois primeiros colocados de cada grupo se classificam para as semifinais, que serão disputadas no dia 22. A decisão do ouro está marcada para o dia 24.

“A expectativa é grande pelo ouro. Nos preparamos melhor do que nunca, com muito treino e diversos amistosos importantes. Temos condições de fazer um bom trabalho e vamos dar o nosso máximo para voltar para casa com o tricampeonato e a vaga olímpica”, finalizou Javier.

Seleção:

Goleiros: Maik Ferreira dos Santos (Esporte Clube Pinheiros) e Marcos Paulo dos Santos (Esporte Clube Pinheiros);

Armadores direitos: Fernando José Pacheco Filho (Esporte Clube Pinheiros);

Armadores esquerdos: Gustavo Nakamura Cardoso (ADC Metodista/São Bernardo), Jaqson Luiz Kojoroski (Unopar FEL/Sercomtel), Thiagus Petrus Gonçalves dos Santos (Esporte Clube Pinheiros);

Pontas direitas: Fábio Rocha Chiuffa (ADC Metodista/São Bernardo) e Renato Tupan Ruy (ADC Metodista/São Bernardo);

Pontas esquerdas: Gil Vicente de Paes Pires (Unoesc/Orbenk/PMC) e Felipe Borges (Reale Ademar León);

Centrais: Bruno Felipe Claudino de Santana (Esporte Clube Pinheiros), Henrique Selicani Teixeira (ADC Metodista/São Bernardo) e Leonardo Luís Bortolini (Unopar FEL/Sercomtel);

Pivôs: Ales Silva (Peña Maiden-Balonmano Ciudad de Logroño) e Vinícius Santos Teixeira (ADC Metodista/São Bernardo).


Grupo A - Brasil, Chile, Canadá e Venezuela

Grupo B - Argentina, República Dominicana, México e Estados Unidos


Tabela do Brasil na fase de grupos:

Dia 16/10, às 13h (15h em Brasília) - Brasil x Canadá

Dia 18/10, às 20h (22h) - Brasil x Venezuela

Dia 20/10, às 13h (15h) - Brasil x Chile